Delegado Damasceno foi exonerado pelo governador

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) está promovendo uma ‘dança das cadeiras’, com exonerações de cargos do alto escalão da corporação e novas nomeações. As informações constam no Diário Oficial do Estado (DOE), publicado nesta terça-feira (6/4).

O delegado Deraldo de Jesus Damasceno, da 28ª Delegacia de Polícia Territorial/Nordeste, foi um dos exonerados do estado. Damasceno teve uma passagem turbulenta pela PC. Em março do ano passado, ele admitiu que sofreu uma emboscada por parte de um bando que atuava no Nordeste de Amaralina, e que conseguiu sair ileso, após apoio da 40ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Nordeste). Ele também causou polêmica ao comentar um vídeo, durante o programa Ronda, onde criminosos aparecem ostentando armas no bairro. “Lá tem piores”, disse ele, na ocasião, acrescentando, ainda, que poderiam haver fuzis nas mãos de bandidos da região.

O Coordenador Técnico da Academia da Polícia Civil da Bahia, Luiz Coutinho dos Santos, foi uma das pessoas a serem exoneradas do cargo, bem como Antônio Fernando Soares do Carm, titular da  4ª Delegacia de Polícia Territorial/São Caetano; Ana Paula Gomes Ribeiro, titular da 2ª Delegacia de Polícia Territorial/Liberdade; e Thiago Chaves de Oliveira Pessoa, da Delegacia de Polícia Territorial do Município de Araci também foram demitidos dos cargos. 

Com as exonerações, houve também novas nomeações. Auricelia Ribeiro Santarém assume a 28ª Delegacia de Polícia Territorial/Nordeste no lugar de Damasceno; Alcimar Meirelle dos Santos vai ocupar o cargo de coordenação técnica da Academia da Polícia Civil; Marcos José Gomes Tebaldi assume a 4ª Delegacia de Polícia Territorial/São Caetano; e Dalton Aparecido Pereira passa a comandar a 2ª Delegacia de Polícia Territorial/Liberdade. Não foi informado ainda, no entanto, quem irá assumir a Delegacia de Polícia Territorial do Município de Araci.

Vale ressaltar que as mudanças ocorrem após o episódio com o soldado Wesley Soares, no domingo do dia 28 de março. O PM, lotado em Itacaré, teve um ‘surto’ e, em frente ao Farol da Barra, um dos pontos turísticos mais famosos de Salvador, ele sacou o fuzil e começou a dar tiros para o alto. Em outros momentos, jogou bicicletas ao mar e empurrou uma viatura contra os colegas.

Após cerca de três horas e meia de negociações, ele disparou contra equipes de negociação do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e foi baleado. O soldado morreu mais tarde, no Hospital Geral do Estado (HGE). A cena levantou diversas discussões sobre a atuação da PM da Bahia.



3 Responses to “Delegado Damasceno foi exonerado pelo governador”

  1. Anônimo

    Agora como é q pode uma coisa dessas !! Um governador q não tem ensino superior nenhum pra tá no cargo e ter absoluto comando por líderes q estudaram anos numa faculdade pra se tornar oq são hoje e serem subordinados por a pessoa q se qer teve o ensino fundamental. Isso significa q qualquer pode mandar na polícia basta ser político.

  2. Verdade nua e crua

    COMO FOI QUE O SOLDADO ATIROU NOS COLEGAS COM UMA ARMA DE GUERRA E NÃO PEGOU NEM ESTILHAÇOS NOS POLICIAS .ATÉ O VERMELHINHO TEM RABO PRESO MENTINDO DESCARADAMENTE.

  3. Só verdades

    Se o policial surtado tivesse matado 1 civil e 1 colega de trabalho , será q teria essa repercussão? A polícia fez o correto , e outra coisa , se esse surto fosse um civil , a pm ja tinha matado em menos de 30min , parem de mimimi , esse pm teve ate muito tempo para desurtar , deixou o bosonarismo invadir sua vida , infelismente.

Comentários fechados.