Ilhéus: 80 trabalhadores da OAS são demitidos

Cerca de 80 trabalhadores da empresa OAS, responsável pela construção da nova ponte, em Ilhéus, foram demitidos nesta segunda e terça-feira. Apesar da demissão em massa, a obra está funcionando normalmente. De acordo com informações, os funcionários estão com medo de contágio do Coronavírus, devido à empresa deixar de fornecer equipamentos de proteção como máscara, álcool em gel e luvas descartáveis.

Conforme o Site apurou, os trabalhadores se aglomeram na hora de bater o ponto, no almoço e até nas reuniões, correndo sério risco de contaminação. A obra que está chegando na fase final ainda conta com 150 trabalhadores da OAS, além das empresas terceirizadas, que devem seguir o mesmo caminho demitindo os colaboradores.

Coincidentemente, após o decreto do prefeito Mário Alexandre determinando a suspensão das atividades do comércio, como também das empresas de transporte coletivo e outros setores da cidade, a OAS ao invés de manter os colabores em regime de quarentena decidiu demitir em massa, para possivelmente, fugir das despesas e dos encargos trabalhistas.

Por outro lado, o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada e Montagem Industrial (SINTEPAV), filiada à Força Sindical, tomou conhecimento da situação, mas ainda não se pronunciou para defender a classe.