Correspondente bancário acusado de aplicar golpe

A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar denúncias de que um empresário de Una abriu um correspondente bancário, clandestinamente, para aplicar um golpe em mais de 200 moradores do município. O delegado Renato Fernandes Ribeiro, que investiga o caso, estima prejuízos de cerca de R$ 100 mil.

De acordo com o policial, as primeiras denúncias surgiram em maio deste ano. O delegado afirmou que as pessoas descobriram que tinham sido vítimas do golpe quando tiveram os nomes negativados pelas empresas credoras por falta de pagamento dos boletos de cartão de crédito ou contas de água, luz e telefone.Muitos tiveram os serviços interrompidos por falta de pagamento.

Segundo a Polícia Civil, o empresário Everton Cruz recebia os valores dos clientes, mas não fazia o pagamento e deva recibos falsos para as vítimas. “Ele foi interrogado e alegou que houve um problema no sistema, mas já sabemos que não foi isso que ocorreu. Ele realmente falsificava os comprovantes de pagamento”, disse o delegado

.

Até amanhã desta terça-feira (13) havia 191 casos registrados, sendo que 21 procedimentos contra o empresário já foram formalizados. O delegado adiantou que o inquérito será concluído nos próximos 15 dias e o suspeito deve ser indiciado por estelionato, apropriação indébita,falsificação de documentos e crime contra a economia popular.